Archive for outubro \29\UTC 2010

SANTANDER CONTRATA 150 ESTAGIÁRIOS POR MÊS

29/10/2010

As vagas são para diversos cursos e em todas as regiões do país.

Na busca por novos talentos e como forma de complementação à formação acadêmica, o Banco Santander abre mensalmente de 100 a 150 vagas de estágio para alunos universitários de diversos cursos. “Percebemos que os estudantes tem grande interesse em participar do programa de estágio do banco. É uma oportunidade para colocar em prática o que aprendem em sala de aula e, ainda, abrirem as portas para entrar no mercado de trabalho. No Santander, por exemplo, temos uma taxa de efetivação de 85% dos estagiários na rede de agências e 53% nas áreas administrativas”, afirma Marco André Ferreira da Silva, diretor de Recursos Humanos do Banco Santander.

Na instituição, há vagas para todas as graduações, desde que o estágio proporcione experiência prática e correlata à grade de formação do estagiário. Os principais cursos demandados são Administração, Ciências Contábeis, Economia e Engenharias. “Mas também há oportunidades para outras formações, por exemplo, contamos com estagiários de Gastronomia na área de Facilities, que é responsável pela gestão dos restaurantes e eventos do banco”, completa Marco André.

No Santander, o estudante deve acessar o endereço www.caminhoseescolhas.com.br e completar seu cadastro para participar das vagas de estágio em “Meu perfil”. A plataforma é o melhor caminho para o jovem se desenvolver, conhecer e experimentar um pouco das atividades das áreas da instituição por meio do tour virtual e oficinas. Além disso, ele conta com um espaço de rede colaborativa totalmente voltada para a temática Carreira, apoiada 100% do tempo por um consultor.

Os pré-requisitos para concorrer a uma vaga são: estar cursando a partir do 2º ano ou 3º semestre da graduação, ter conhecimento em Excel (nível intermediário) e bom raciocínio lógico. Idioma é diferencial e quesito de seleção de acordo com a necessidade de cada área. Uma vez no programa, o estagiário recebe bolsa-auxílio equivalente ao mercado e benefícios (Vale Refeição para jornada de 6 horas, Vale Transporte, Auxílio Médico, Seguro de Vida, recesso).

Santander contrata 150 estagiários por mês

As vagas são para diversos cursos e em todas as regiões do país

São Paulo,  27 de outubro de 2010 – Na busca por novos talentos e como forma de complementação à formação acadêmica, o Banco Santander abre mensalmente de 100 a 150 vagas de estágio para alunos universitários de diversos cursos. “Percebemos que os estudantes tem grande interesse em participar do programa de estágio do banco. É uma oportunidade para colocar em prática o que aprendem em sala de aula e, ainda, abrirem as portas para entrar no mercado de trabalho. No Santander, por exemplo, temos uma taxa de efetivação de 85% dos estagiários na rede de agências e 53% nas áreas administrativas”, afirma Marco André Ferreira da Silva, diretor de Recursos Humanos do Banco Santander.

Na instituição, há vagas para todas as graduações, desde que o estágio proporcione experiência prática e correlata à grade de formação do estagiário. Os principais cursos demandados são Administração, Ciências Contábeis, Economia e Engenharias. “Mas também há oportunidades para outras formações, por exemplo, contamos com estagiários de Gastronomia na área de Facilities, que é responsável pela gestão dos restaurantes e eventos do banco”, completa Marco André.

No Santander, o estudante deve acessar o endereço www.caminhoseescolhas.com.br e completar seu cadastro para participar das vagas de estágio em “Meu perfil”. A plataforma é o melhor caminho para o jovem se desenvolver, conhecer e experimentar um pouco das atividades das áreas da instituição por meio do tour virtual e oficinas. Além disso, ele conta com um espaço de rede colaborativa totalmente voltada para a temática Carreira, apoiada 100% do tempo por um consultor.

Os pré-requisitos para concorrer a uma vaga são: estar cursando a partir do 2º ano ou 3º semestre da graduação, ter conhecimento em Excel (nível intermediário) e bom raciocínio lógico. Idioma é diferencial e quesito de seleção de acordo com a necessidade de cada área. Uma vez no programa, o estagiário recebe bolsa-auxílio equivalente ao mercado e benefícios (Vale Refeição para jornada de 6 horas, Vale Transporte, Auxílio Médico, Seguro de Vida, recesso).

PROGRAMAS DE TRAINEE

28/10/2010


Por Rosângela Casseano*

Os programas de trainee são uma excelente oportunidade para preparar jovens recém-formados caracterizados como futuros potenciais, para posteriormente ocupar cargos técnicos e de comando dentro da organização, suprindo dessa forma a demanda das empresas por profissionais qualificados.

Hoje há programas de diversos tipos, para profissionais de todas as áreas. Cresce a cada ano o número de empresas interessadas em selecionar novos talentos e prepará-los para subir na hierarquia e assumir cargos de liderança.

Nos processos de seleção que são rigorosos e exigentes, buscam-se jovens com características como capacidade de trabalhar em equipe, liderança, iniciativa, dinamismo, empreendedorismo e criatividade.

O trainee é um funcionário contratado pela empresa e isso reforça o compromisso com os resultados.

Fique de olho nos prazos de seleção que se iniciam tradicionalmente a partir de setembro e boa sorte!

*Rosângela Casseano é Psicóloga, Hipnoterapeura, Master em PNL e Personal Coach
www.sucessoecarreira.com.br

FIQUE NA MIRA DOS RECRUTADORES NA INTERNET

28/10/2010

Especialista em recrutamento dá 7 dicas para o profissional despertar “holofotes nas redes”.

Por Rômulo Martins

Fique na mira dos recrutadores na internetCom o alcance da web 2.0 não é preciso mais sair de casa para ser visto e lembrado. As redes sociais se firmaram e, há alguns anos, o relacionamento na internet perpassa os interesses pessoais. Hoje elas são consideradas ferramentas eficazes e efetivas de networking. A web 2.0 é também um filão que desperta cada vez mais a atenção dos profissionais de recursos humanos.

Pesquisa da Robert Half, empresa de recrutamento especializado, revelou que o Brasil é o país onde os empregadores mais utilizam os sites e redes sociais para contratação. O estudo foi realizado em treze países diferentes, com 2.819 executivos, sendo que os Estados Unidos ficaram de fora. No Brasil, 21% das empresas utilizam o meio social da internet para realizarem contratações. Espanha está em segundo lugar (18%). Em terceiro ficam a Itália e a Holanda, ambas com 13% cada uma.

Especialista em recrutamento da divisão de marketing e vendas, Adriana Cambiaghi explica que o uso das redes para contratação não dispensa o modelo tradicional de recrutamento. Porém elas são ferramentas acessíveis e de baixo custo que facilitam a busca por profissionais e auxiliam na identificação de suas trajetórias nas empresas.

“A proposta é chamar a atenção do recrutador para que ele se sinta atraído a conversar com o profissional a partir das informações disponibilizadas nas redes. Por isso, os principais tópicos da carreira devem ser destacados de uma forma completa e não exaustiva”, declara a especialista.

Fique atento às recomendações de Adriana Cambiaghi para fisgar os profissionais de recursos humanos por meio do seu perfil na internet.

1. Separe o profissional do pessoal
Cada rede reporta a um objetivo diferente. O Linkedin, por exemplo, é uma rede estritamente profissional. Já o Facebook é mais usado para gerar relacionamentos pessoais. Preste atenção no formato da rede para utilizá-la de modo apropriado.

2. Não abuse
Cuidado com o que você posta nas redes, mesmo as usadas para fins pessoais. As organizações costumam acessar todos os perfis, principalmente aquelas que atuam no ramo da comunicação, do marketing e afins. Uma foto embaraçosa ou uma opinião extremista pode queimar o seu filme.

3. Não minta
Divulgar informações falsas fere sua imagem profissional. As empresas estão de olho nas redes, portanto, qualquer deslize pode ser fatal. Publique dados relevantes e verdadeiros.

4. Publique apenas o “publicável”
Revelar detalhes dos seus projetos é um perigo. Você pode estar expondo dados estratégicos da empresa. É uma questão séria que certamente leva à demissão. Informe somente seu cargo, principais atribuições e resultados alcançados.

5. Selecione os contatos
Adicionar ou aceitar pessoas a sua rede sem critérios não é uma atitude inteligente e pode ser prejudicial à imagem. Avalie a relevância do contato. Conexões fortes contam ponto.

6. Mantenha o perfil atualizado
Interaja com as suas conexões e alimente a rede. Além das novas experiências e cursos, não se esqueça de informar e-mail e telefone, itens pelos quais o selecionador vai estabelecer contato com você. Cadastrar-se em uma rede e não utilizá-la é o mesmo que não possuir perfil na internet. Novos recursos surgem a todo momento. É preciso familiarizar-se com eles e usá-los a seu favor.

7. Não peque no português
Falhas ortográficas e o mau uso da língua portuguesa ofuscam os recrutadores. Não é necessário escrever em linguagem formal. O profissional deve, no entanto, respeitar a língua. Dica: una objetividade e concisão com estilo.

VALE A PENA TRABALHAR EM EMPRESA JÚNIOR?

25/10/2010

Experiência na universidade pode ser muito importante para a formação profissional.

Vale a pena trabalhar em empresa júnior?Para quem não conhece, as empresas júnior são associações formadas exclusivamente por alunos do ensino superior e possuem fins educacionais. Essas empresas devem estar ligadas a pelo menos um curso da universidade, por exemplo, engenharia, administração ou comunicação. O objetivo é permitir que os alunos obtenham mais conhecimento na faculdade e ganhem experiência em sua área de trabalho, já que o gerenciamento da empresa fica por conta dos próprios estudantes, que são apenas orientados por um professor da área. E a atuação da empresa é para valer, os alunos prestam consultoria verídicas a qualquer tipo de empresa, normalmente micro e pequenas.

No entanto, durante a faculdade muitos jovens não chegam nem a saber de sua existência. Mas será que vale a pena conhecer? Nossa conclusão é que vale sim! Trabalhar na empresa júnior de uma universidade pode ser uma experiência muito importante para a formação profissional, veja porque:

Vantagens

  • O aluno realmente compreende o funcionamento e a atuação de uma companhia;
  • Assume cargos de gerência e direção, com visão e responsabilidades globais sobre a empresa;
  • Faz contato com micro e pequenos empresários o que permite aprender sobre como essas empresas se organizam na prática;
  • Adapta os conceitos aprendidos em sala de aula para aplicá-los na prática;
  • Desenvolve sua rede de contatos e o relacionamento com todos os interessados em potencial na empresa júnior;
  • Aprende a técnica da profissão a partir do desenvolvimento de projetos, da necessidade de realizar análises setoriais e de fazer planos de negócios;
  • Tem a oportunidade de se tornar empreendedor já que os universitários têm autonomia para gerir como se a empresa fosse deles, apenas com orientação dos professores;

Desvantagens
As vantagens, sem dúvida, superam as desvantagens. Afinal, ganhar experiência, confiança, aprender a se portar em uma empresa, e ainda dentro da própria universidade, é muito vantajoso para um estudante de qualquer área.
A única desvantagem que conseguimos citar é que na grande maioria das empresas júnior o estudante trabalha sem receber salário, e, em muitos casos, quando recebe o valor é apenas uma ajuda de custo.
Isso pode parecer bem ruim, mas levando em consideração os benefícios dessa experiência, acreditamos que, para quem pode, vale a pena sacrificar alguns meses de salário!

NESTLÉ DÁ INÍCIO AO SUMMER JOB

22/10/2010

Inédito na empresa, o Programa de Estágios durante o Verão auxiliará jovens universitários a adquirir experiência no mercado de trabalho.


O Programa Summer Job Nestlé é um novo programa, cujo objetivo é proporcionar aos estudantes, que possuem disponibilidade de horário restrita para estagiar, a vivência em situações reais do mundo corporativo. Visa também promover o intercâmbio de informações com as instituições de ensino, bem como identificar, atrair e desenvolver tais estudantes para ocupar futuras posições na empresa.

Para este primeiro programa, a Nestlé estabeleceu parceria com a UFSCAR e o estágio será realizado na Fábrica de Araraquara.

Requisitos

  • Cursos elegíveis: Engª Química, Engª de Produção e Engª Mecânica;
  • Formação entre Julho/2011 e Julho/2012;
  • Inglês intermediário;
  • Domínio de Informática (Pacote Office);
  • Disponibilidade de 30 horas semanais, para estagiar no período de Dezembro a Fevereiro.

Benefícios

  • Bolsa-auxílio.
  • Vale refeição.
  • Seguro de Vida.
  • Auxílio transporte e estacionamento.
  • Assistência Médica.
  • Auxílio Moradia (somente para os aprovados que não residam em Araraquara).

Clique aqui para se inscrever:
http://www.nestle.com.br/site/anestle/trabalhe_na_nestle/programa_summer_job.aspx

Prazo para Inscrições de 19/10 à 28/10.

PROFISSÃO – MUDANÇAS DE ROTA

22/10/2010

Pior do que mudar de curso no meio do caminho é viver a frustração, pelo resto da vida, de fazer algo que não queria.

Por Marcelo Mariaca*

Profissão - Mudanças de RotaDentro de poucas semanas começa a maratona dos vestibulares, quando milhares de jovens, de 17 ou 18 anos, decidem realmente o que querem fazer na vida. Mas, na realidade, ninguém nessa faixa de idade sabe tanto de medicina, de administração, de engenharia ou de outra profissão a ponto de abraçar, nesse momento, uma carreira para toda a vida. O jovem tem de se dar a chance e o direito de chegar aos 24 anos, no meio do curso, e dizer: “Não quero, não aguento mais, não é isso que quero fazer”. Mesmo que decepcione os pais, que pensam ser possível desenhar o futuro dos filhos.

Essas decisões são de foro íntimo. Além disso, podemos reorientar nossa rota e mudar nossos caminhos, não importa em ponto estejamos. Por outro lado, é preciso pensar muito, refletir e analisar se a mudança é conveniente. Não dá para ser impulsivo, embora essa seja uma das características dos jovens. Leia mais…

SALÁRIO MÉDIO PAGO AO TRABALHADOR BRASILEIRO É O MAIOR DA HISTÓRIA

21/10/2010

Em setembro, rendimento ficou em R$ 1.499 e superou recorde registrado em agosto.

Fonte: Sérgio Vieira, do R7

O salário médio do trabalhador brasileiro em setembro foi de R$ 1.499, o maior já pago no país desde março de 2002. O valor é 1,3% maior do que o valor de agosto (R$ 1.480,20), até então o recorde. Na comparação com setembro do ano passado, o poder de compra dos trabalhadores empregados aumentou 6,2%. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (21) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A Pesquisa Mensal de Emprego mostrou que, nas seis regiões brasileiras pesquisadas pelo IBGE, o rendimento médio apresentou melhora em relação a agosto de 2010: em Recife o aumento foi de 1,9%; Salvador ampliou 1,2%; Belo Horizonte, 1,7%; Rio de Janeiro, 2,7%; São Paulo, 0,4%; e Porto Alegre, 1,3%.

Para Cimar Azeredo, gerente da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, esse rendimento reflete as boas condições do mercado de trabalho. Em setembro, o desemprego cai ao menor patamar da história, apesar de ainda haver 1,48 milhão de pessoas sem emprego nas seis regiões.

– O mercado de trabalho avança com criação de postos de trabalho acima do número de pessoas que entram na população economicamente ativa, e melhor, com vagas de qualidade. Além disso, a economia brasileira em crescimento propiciou a criação de empregos com melhores salários.

Cenário brasileiro

A taxa de desocupação ficou em 6,2% em setembro. Essa foi a primeira vez que o número de desempregados ficou abaixo de 1,5 milhão. Antes, a menor taxa havia sido registrada em agosto, quando foi reportado que 1,6 milhão de brasileiros estavam sem trabalho, ou 6,7% da população.

Segundo o gerente da pesquisa, esses patamares mostram que o Brasil deixou para trás qualquer resquício de crise, já que as taxas verificadas estão melhores que o verificado no período pré-crise.

– O status da ocupação brasileira está igual aos das taxas norte-americanas antes da crise econômica mundial. Na época, a taxa de desemprego deles girava entre 2,3% e 5,6%, hoje encosta nos 10%. O Brasil está muito bem com seus 6,7%.

Vale mencionar que a taxa atual de desemprego da Espanha e da França, países que tiveram forte retração do mercado de trabalho devido à crise, gira entre 12 a 15%.

O estudo, divulgado nesta quinta-feira (21), mostra que 22,3 milhões de pessoas tinham algum tipo de trabalho em setembro. O número é 0,7% maior em relação a agosto e 3,5% superior ao verificado no mesmo mês de 2009 (ou mais 762 mil postos de trabalho preenchidos em um ano).

O número de brasileiros com carteira assinada (10,3 milhões) ficou estável no mês e cresceu 8,6% no ano.

deseprego-setembro-ibge-hg-20101021

Aproveite!
Consulte a Tabela de Cargos e Salários do Empregos!

Escolha um dos níveis abaixo e consulte o cargo desejado, não necessariamente sua profissão. Os valores menor, média e maior são salários de mercado, atualizados a cada semestre de acordo com levantamento feito pela equipe do site Empregos.com.br.


Tabela de Cargos e Salários

CUIDADO PARA NÃO “ESCORREGAR” – 10 GAFES QUE ARRANHAM SUA IMAGEM PROFISSIONAL

21/10/2010

Equívocos clássicos podem gerar conflitos no trabalho e levar inclusive à demissão.

Por Rômulo Martins

10 gafes que arranham sua imagem profissionalHá coisas que nunca saem de moda. Uma delas é a etiqueta corporativa. Pena que muitos profissionais vivem esbarrando nas regras (nem sempre documentadas) do bom convívio. Geram animosidades e comprometem o rendimento no trabalho. “A competência técnica é essencial para ocupar um cargo, mas é o comportamento que vai indicar se o profissional se manterá na empresa e será promovido ou não”, avisa Daniela do Lago, professora da Fundação Getúlio Vargas.

Segundo Mary Cássia Batista de Siqueira, coordenadora do curso de Gestão em Recursos Humanos da Veris Faculdades, além de afetar a imagem profissional, uma conduta inadequada quebra a relação de confiança entre empresa e cliente. “Se por um lado falta mão de obra qualificada para ocupar alguns postos, por outro há uma competição acirrada no mercado de trabalho”, alerta.

As consequências de atitudes impróprias no meio empresarial, contudo, nem sempre ocorrem instantaneamente. De forma sutil, seu chefe pode tirar responsabilidades suas por entender que seu comportamento é incompatível com dada tarefa. Pode ainda transferir você de área ou mudar para um cargo de menor importância e visibilidade. Nem por isso vai se sentir necessariamente na obrigação de lhe dizer a real causa das decisões.

De acordo com Daniela, é o profissional quem deve avaliar suas posturas. Menos atribuições no trabalho, diz ela, indicam pouco crédito. O próximo passo pode ser a demissão. “Tropeços na carreira são inevitáveis”, admite a especialista em comportamento corporativo. “Todavia, torna-se difícil reverter uma situação quando já se criou uma imagem desfavorável”, adverte.

Daniela e Mary apontam os deslizes mais comuns no ambiente de trabalho. Preste atenção para não cair em nenhum deles.

Usar o telefone ou celular sem critérios1. Usar o telefone ou celular sem critérios
Falar alto ao telefone atrapalha a concentração do colega ao lado ou irrita o cliente à espera de atendimento. Tão desagradável quanto interromper uma reunião para atender ao celular que deveria estar desligado ou no vibra call.

Atrasar-se habitualmente2. Atrasar-se habitualmente
Atrasos podem ser interpretados como falta de organização e planejamento ou desinteresse no trabalho. A empresa pode ainda perder oportunidades de negócio por conta deste deslize.

Tomar o espaço do outro3. Tomar o espaço do outro
Alguns profissionais não se organizam o suficiente para usar o ambiente a eles destinado. Quando a mesa se transforma em pilhas de papel e documentos não há mais lugar para colocar seus pertences. Por isso, utilizam erroneamente o espaço alheio.

Fazer rádio-peão (nos corredores e nas redes)4. Fazer rádio-peão (nos corredores e nas redes)
Falar mal do chefe ou da empresa, além de ser antiético, é uma das principais causas de demissão. Fazer comentários maldosos sobre o colega de trabalho, do mesmo modo, arranha a imagem profissional. O perigo aumenta quando informações são registradas nas redes sociais. Especialistas recomendam muito cuidado com os desabafos.

“Esquecer” do trabalho5. “Esquecer” do trabalho
Alguns profissionais vão até a área de café para tomar um lanche ou aliviar um pouco a tensão e perdem a noção do tempo. Demonstram falta de compromisso e responsabilidade e acumulam trabalho. Outros passam grande parte do tempo na internet pesquisando assuntos de ordem pessoal.

Enviar e-mails com erros grotescos de português6. Enviar e-mails com erros grotescos de português
É preciso cautela com abreviações. Elas podem causar erros de interpretação. Não se deve enviar mensagens ao chefe, colegas e clientes como se estivesse conversando com um amigo pelo Messenger. O e-mail visa à otimização do trabalho. Analise a sua pertinência e o releia antes de enviá-lo.

Fazer da mesa de trabalho a área de café ou a “estante” de casa7. Fazer da mesa de trabalho a área de café ou a “estante” de casa
Comer na mesa de trabalho é anti-higiênico. Pode gerar danos à saúde e conflitos. Deteriora ainda os recursos do trabalho. Da mesma forma, poluir a mesa com fotografias, imãs, bilhetes etc não condiz com uma conduta profissional. Tenha bom senso ao colocar qualquer objeto pessoal na mesa de trabalho.

Esquecer ou errar o nome do cliente8. Esquecer ou errar o nome do cliente
Uma das situações mais embaraçosas é não lembrar ou errar o nome do cliente. Revela falta de atenção e de interesse. Caso considere necessário, anote o nome discretamente para não escorregar.

Cumprimentar com intimidade9. Cumprimentar com intimidade
Este tipo de deslize, na maioria das vezes, é cometido por ingenuidade ou falta de conhecimento da etiqueta corporativa. A regra é cumprimentar com um aperto de mão. A iniciativa do beijo deve ser sempre da mulher.

Vestir-se inadequadamente10. Vestir-se inadequadamente
Muito se fala sobre trajes no ambiente de trabalho, no entanto, o assunto continua atual. O fato é que ainda há pessoas – principalmente mulheres – que vão ao trabalho como se estivessem indo a uma festa. O exagero se estende à maquiagem, aos acessórios, ao perfume. Por outro lado, existem profissionais que não cuidam da imagem. Cabelos e barbas devem estar sempre bem feitos, sapatos engraxados, roupas bem passadas. O tipo de traje vai depender muito do perfil da empresa, mas uma coisa é certa: você não deve chamar mais atenção que a sua competência.

ESTUDO MOSTRA CRESCIMENTO NO NÚMERO DE VAGAS DISPONÍVEIS NO MERCADO DE TRABALHO

20/10/2010

Fonte: CÉLIA FROUFE – Agencia Estado

BRASÍLIA – O Estado de São Paulo manteve a liderança na criação de vagas formais de emprego em setembro. Pernambuco e Alagoas, porém, foram os Estados que registram maior expansão do mercado de trabalho, ajudando a justificar o crescimento expressivo da Região Nordeste no mês passado.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), foram gerados 53.572 postos de trabalho com carteira assinada em São Paulo, o que representa um crescimento de 0,47% em relação ao total de assalariados com carteira no mês anterior. Em termos absolutos, os números paulistas são o melhor desempenho da Região Sudeste. O resultado positivo foi obtido dos setores de serviços (31.216 postos), indústria de transformação (18.457) e do comércio (11.617). Na agropecuária, porém, as demissões superaram as contratações em 9.366 postos.

Já em Pernambuco, foram contratados 39.645 trabalhadores, descontadas as demissões do período, o que representa uma expansão de 3,70% sobre o mês anterior. “Este resultado foi o melhor de toda a série histórica do Caged para o período, em termos absolutos, e o melhor desempenho da Região Nordeste”, comentou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. O comportamento é fruto da expansão do emprego na indústria de transformação (21.853 vagas), agropecuária (5.856), construção civil (4.500), serviços (4.188) e comércio (2.991).

Alagoas também merece destaque ao ter criado, em setembro, 28.256 vagas formais líquidas, o que representa uma expansão de 10,48%. A indústria da transformação (27.188) foi a que mais contribuiu para o desempenho positivo do setor.

O emprego com carteira assinada cresceu em 107.589 postos de trabalho em setembro nas nove regiões metropolitanas destacadas pelo Caged (BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS, SP), o segundo melhor saldo para o período. Os destaques foram São Paulo (35.519 postos) e Recife (16.238 postos).

Aproveite!
Faça aqui sua Busca de Vagas:
http://www.empregos.com.br/novabusca/default.aspx

7 DICAS PARA ENCONTRAR O EMPREGO IDEAL

20/10/2010

Autoconhecimento e networking são fundamentais, mas é o mercado quem dá o tom na busca pela carreira dos sonhos.

Por Rômulo Martins

7 Dicas para encontrar o emprego idealUma organização estruturada que valoriza o profissional e investe em suas potencialidades, equiparada com uma política de cargos e salários definida e justa e um pacote de benefícios agressivo. É esta a empresa dos seus sonhos? Dedique-se, então, aos seus interesses o quanto antes. É o planejamento estratégico que conduz o profissional ao sucesso. Mas não se engane: quem dita as regras é o mercado. Portanto, é preciso adaptar-se às leis nem sempre justas do mundo corporativo. “O mercado de trabalho é complexo, não envolve simplesmente o que o profissional gosta de fazer. Toda empresa tem as suas regras que estão sujeitas a questões externas como a política e a economia”, explica Jaqueline Silveira Mascarenhas, coordenadora do Ibmec Carreiras.

Marion Caruso, consultora de recrutamento e seleção da Ricardo Xavier Recursos Humanos, ilustra que, na conjuntura atual, empresas que investem na preservação do meio ambiente, responsabilidade social e qualidade de vida dos seus colaboradores são bem vistas no mercado e, portanto, “ideais” para trabalhar. “Elas podem atender a estas especificações, porém, não estão imunes a mudanças de gestão ou localização. Um item apenas pode transformar o emprego dos sonhos em uma situação frustrante e insustentável”, alerta. Além disso, Marion destaca que referenciais de qualidade são subjetivos, particulares e situacionais. “Um profissional pode achar perfeito atuar em uma empresa pequena de ambiente acolhedor e definir esse quadro como ideal; ao passo que outro poderá avaliar oportunidades apenas em grandes empresas que possuem um ambiente mais burocrático e profissionalizado.”

Lia Fonseca, diretora executiva da Volare Recursos Humanos, define o que seria o trabalho dos sonhos. “É aquele que na maior parte do tempo o profissional realiza atividades prazerosas, já que faz o que gosta e faz bem porque sabe fazer. Quando há identidade com o trabalho e com a empresa há emprego ideal.”

Para ajudar você a encontrar o emprego desejado, as consultoras dão dicas valiosas e fundamentais. Confira.

1. Conheça-se
Todas as questões da vida passam pelo autoconhecimento. Quem não se conhece bem não sabe o que quer. Pode até chegar a algum lugar, mas não pelas próprias pernas. Provavelmente será empurrado ou engolido pelo mercado. Conhecer-se bem é saber quais são seus pontos fortes e fracos para aprimorá-los e desenvolvê-los.

2. Desenvolva-se
Competências comportamentais, hoje, têm o mesmo peso que as habilidades técnicas. As empresas buscam profissionais inovadores, flexíveis, que se comuniquem bem e saibam trabalhar em equipe. Dependendo da função, o profissional precisará aprimorar ou desenvolver habilidades. Quase sempre esse processo se dá na prática. Porém, quando as limitações são demasiado visíveis e prejudicam o trabalho é necessário recorrer a alguns recursos como a terapia e o coaching.

3. Conheça o mercado
Nunca foi tão simples e rápido ter acesso a informações. A internet é o principal instrumento, mas não o único. É válido ler o que os veículos de comunicação e publicações especializadas informam a respeito da carreira que você pretende seguir. Converse também com profissionais da área e questione sobre a rotina de trabalho. Fique de olho nas exigências de mercado. Hoje em dia, grande parte das empresas pede fluência em algum idioma, principalmente o inglês. Prepare-se.

4. Conheça a empresa
Comungar com os valores e a missão da empresa é primordial para realizar um bom trabalho e sentir-se satisfeito. Por isso, conheça a organização antes de aceitar propostas. O site corporativo, as publicações e o contato com profissionais que atuam ou atuaram na companhia ajudam.

5. Especialize-se
Visão macro, flexibilidade, domínio da comunicação e espírito de equipe são competências essenciais, mas as empresas precisam também de profissionais que dominem determinado tema. Assim, conhecer um assunto profundamente é, do mesmo modo, requisito básico. Além disso, o torna mais competitivo e pode lhe render um salário mais vantajoso.

6. Atualize-se
É preciso estar de olho nas tendências da profissão. Novos procedimentos e ferramentas surgem velozmente em todas as áreas. Busque cursos de qualidade e que realmente irão agregar valor ao seu trabalho. Quem não se atualiza para no tempo e corre o risco de sucumbir.

7. Faça networking
Estima-se que 80% das oportunidades profissionais não chegam ao público. Isso significa que a maioria dos postos são ocupados por indicação. Mas não adianta se fazer visto em todos os eventos corporativos ou inflar sua rede na internet. Networking é uma via de mão dupla. Você e o outro precisam comungar interesses. Construir uma rede de relacionamento profissional requer dedicação e paciência.


%d blogueiros gostam disto: