Posts Tagged ‘educação’

PROFISSÃO PROFESSOR

05/04/2011

Cláudio Tomanini, da FGV, afirma que o mercado e a nova geração de estudantes requerem um novo perfil profissional.

Por Rômulo Martins

Profissão ProfessorO giz e o quadro-negro devem deixar de fazer parte da vida dos professores de uma vez por todas. Pelo menos na visão de Cláudio Tomanini, professor de MBA da Fundação Getúlio Vargas, especialista em marketing e vendas e autor do livro “Na trilha do sucesso”, da editora Gente.

Segundo Tomanini, o professor do futuro deve dominar as tecnologias e utilizá-las a seu favor em sala de aula ou onde quer que trabalhe. E mais: o especialista em marketing acredita que o bom professor deva atuar no mundo corporativo. Conhecendo as reais necessidades do mercado de trabalho, diz ele, o professor tem condições de transferir as experiências práticas a seus alunos.

Utopia ou não, o fato é que, para Tomanini, o mercado e a nova geração de estudantes demandam um novo perfil de professor – desde a educação infantil até a acadêmica. Ele falou ao Empregos.com.br. Assista.

Se interessou pela profissão? Faça uma busca de vagas!

Saiba mais sobre outras profissões:

A EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL É TÍMIDA?

15/12/2009

diante da competitividade do mercado, pesquisa da USP revela que investimento na formação de profissionais está restrito às empresas de grande porte.

Por Rômulo Martins

O cenário globalizado e a competitividade nos negócios fazem as empresas perceberem que a formação contínua dos profissionais são, em parte, de responsabilidade delas próprias. A razão desse entendimento é óbvia: o turbilhão de incertezas e de rápidas mudanças pelo qual passa o mercado dificulta o delineamento claro sobre suas nuances, portanto, quem quiser sobreviver nesse quadro precisa investir na prática coordenada de gestão de pessoas e do conhecimento, tendo como orientação a estratégia de longo prazo.

Mais que treinar ou qualificar, as organizações devem articular coerentemente as competências individuais e organizacionais em seu contexto mais amplo com a implantação de programas de educação corporativa. Apesar de a conjuntura ser esta, um estudo da USP (Universidade de São Paulo) revela a necessidade da ampliação dos projetos voltados à formação dos colaboradores no ambiente corporativo.

Segundo a pesquisa, a educação corporativa no Brasil está restrita às grandes empresas. Das instituições ouvidas pela universidade, 70% das que investem em formação possuem mais de mil colaboradores. “Infelizmente isso ainda é verdade, visto que grande parte das micro e pequenas empresas ainda têm por trás empreendedores que empreendem por ‘necessidade’ e não por ‘oportunidade’”, afirma Cristiane Rebelato, gerente do Sebrae São Paulo. Para Cristiane, o erro está em buscar resultados imediatos para o negócio, deixando a formação dos funcionários em segundo plano.  Leia mais…

“A EDUCAÇÃO É O QUE PODE SALVAR O BRASIL”

26/08/2009

aula

Aos 24 anos, Diego Bergamini coordenou a área de trade marketing da Kraft Foods; agora parte para Milão, onde cursará mestrado

Por Rômulo Martins

 

Ele era mais um garoto pobre que vivia na metrópole curitibana sem perspectiva de futuro. Sua mãe e maior incentivadora, Glacilene, tinha de se virar com R$ 300 mensais para sustentar o menino e a casa, isso em 1994.

Uma década e meia depois Diego Bergamini, 24 anos, acumula a experiência de chegar ao cargo de coordenador de trade marketing da indústria alimentícia multinacional Kraft Foods, em São Paulo, onde foi responsável pelo atendimento do Wal-Mart, a maior rede de supermercados do mundo.

Com visão crítica saliente e ar intelectual, agora o jovem parte para outra etapa. Vai para Milão, Itália, onde ficará por dois anos. Lá, vai cursar mestrado em Marketing Management em uma das melhores universidades do mundo na área, a Università Commerciale Luigi Bocconi, por meio de um programa do Instituto Donna Javotte Bocconi que oferece bolsas de estudo a alunos estrangeiros.

O maior responsável pela trajetória de sucesso de Diego tem nome. Ele se chama “Bom Aluno”. Foi através do programa que o menino teve a chance de romper a barreira que o separava da nata intelectual e social de Curitiba.

Mas não foi fácil adentrar nos muros do “Bom Aluno”. Como o próprio nome diz, para ingressar no projeto era preciso ser “bom”. E Diego provou que é. Ele se destacou pelo desempenho na escola municipal onde estudava e foi escolhido para receber os benefícios do programa criado pela empresa BS Colway Pneus através do Instituto Bom Aluno do Brasil (Ibab).

A partir daí o programa custeou a educação de Diego. Ofereceu material escolar, transporte, uniformes, aulas extraclasse de matemática, inglês e português, além de um curso preparatório para o ensino médio. Na segunda fase do projeto, recebeu apoio integral com escola particular, preparação para o vestibular, aulas de redação, inglês e acompanhamento pedagógico.

O resultado do esforço e dedicação não poderia ser diferente: o jovem ingressou na Universidade Federal do Paraná onde cursou Administração Internacional de Negócios. Durante a graduação, o “Bom Aluno” ofereceu a Diego curso de espanhol e outro voltado para o desenvolvimento de seu perfil profissional.

Com o término da faculdade, em 2005, o programa financiou ao jovem um coaching, curso de marketing pessoal e de administração financeira pessoal. A carreira promissora, como era de se esperar, foi consequência do investimento e da preparação. Veja mais…


%d blogueiros gostam disto: