Posts Tagged ‘Entrevista’

O que é observado na dinâmica de grupo?

26/04/2011

Especialistas apontam as principais competências avaliadas e dão dicas para você se destacar nesta etapa.

Por Rômulo Martins


O que é observado na dinâmica de grupo?
Com o objetivo de avaliar o comportamento dos candidatos frente a situações hipotéticas as quais o profissional está sujeito no dia a dia empresarial os recrutadores optam por aplicar uma técnica bastante conhecida e temida nos processos de seleção: as dinâmicas de grupo.

Mas o que, afinal, os selecionadores observam nos candidatos durante essas atividades? Segundo Cíntia Bortotto, especialista em dinâmicas de grupo, é analisado o conjunto de competências exigidas para o cargo em questão.

“Em um processo seletivo para estagiários muitas vezes não se pode observar uma competência estruturada, porque o candidato ainda não tem experiência. Porém, no desenrolar da dinâmica, é possível ter indícios de que o profissional já possui determinada habilidade”, explica a especialista.

Cíntia afirma que as competências mais observadas nas dinâmicas de grupo são liderança, trabalho em equipe, comunicação, foco em resultados, capacidade analítica e iniciativa. São notados ainda a atenção, o respeito a regras, ética, postura, motivação e comprometimento.

Especialista em dinâmicas de grupo do Empregos.com.br e autora do “Manual do facilitador para dinâmicas de grupo” (Editora Papirus), Izabel Failde diz que a dinâmica pode ser decisiva na contratação ou não de um profissional. “Em primeiro lugar são observadas as competências essenciais ao cargo, posteriormente as desejáveis”, ressalta. Leia mais…

Vídeo – Como se comportar na entrevista de emprego

14/04/2011

Consultora orienta candidatos na fase presencial do processo de seleção.

Por Rômulo Martins

Para evitar respostas ensaiadas, os recrutadores vêm transformando o modelo clássico pergunta-resposta da entrevista de emprego em um ambiente propício ao diálogo e à espontaneidade. E se em situações previstas os candidatos estavam sujeitos a gafes, que dirá hoje em que o inusitado e o inesperado estão cada vez mais presentes nos processos de seleção.

Empregos.com.br conversou a respeito do tema com Renata Damásio Magliocca, consultora do Grupo DMRH. Assista ao vídeo!


COMO CONVENCER O RECRUTADOR?

20/12/2010

Seis dicas para alcançar o sucesso em uma entrevista de emprego.

Por Rômulo Martins

Como convencer o recrutadorSe você acha que existem fórmulas infalíveis para obter êxito diante do selecionador e conseguir o tão sonhado emprego está enganado. Cada empresa tem um público e necessidades diferentes. Logo, o profissional certo para uma companhia não o será necessariamente para outra. “Não existe candidato bom e ruim. Existe candidato adequado e inadequado”, atesta Carlos Bitinas, sócio da DRH Talent Search.

Mas, o que explica o sucesso de alguns e o fracasso de outros nas entrevistas de emprego? O conhecimento das regras básicas, devolvem profissionais de recursos humanos. Então, ao invés de tentar adivinhar o que o recrutador quer de você coloque a mão na massa: prepare-se para esta etapa. Especialistas consultados pelo Empregos.com.br mostram o caminho.

1. Prepare um bom currículo
O currículo é considerado um cartão de visita. Um documento claro, objetivo, alinhado à vaga é indispensável para convencer o recrutador a chamá-lo para uma entrevista. “É a porta de entrada”, afirma Caio Arnaes, consultor da divisão de engenharia da Robert Half.

2. Impressione o recrutador
Por outro lado, Arnaes arremata: “as empresas não contratam currículos, contratam pessoas”. Logo, já nos primeiros instantes da entrevista impressione o recrutador, orienta o especialista. “Dê-lhe um aperto de mão firme, olhe-o nos olhos, chame-o pelo nome. Crie energia e empatia para causar uma boa impressão.”

3. Seja protagonista de sua vida
O olhar biônico do recrutador detecta a quilômetros de distância o candidato que se conhece bem. Da mesma forma, percebe com perspicácia quem é capaz de gerenciar a própria carreira. Prepare-se. Esteja consciente do que quer e o que precisa fazer para chegar lá.

Para Carmen Benet, coordenadora de recursos humanos da Manpower, o candidato deve expor suas aptidões com transparência. “Ele será aprovado se realmente tiver as competências exigidas e se souber falar sobre elas.”

4. Mencione resultados
O ideal é revelar seu desempenho em empresas anteriores e explicar como atingiu os resultados. “O entrevistador é um tomador de decisão. Ele quer saber dos resultados alcançados pelo candidato. Assim, você estará falando de um assunto que o agrada e o interessa”, diz Caio Arnaes, da Robert Half.

5. Entenda o ambiente
Entre você e o recrutador existe uma posição a ser preenchida. Portanto, é fundamental obter informações prévias sobre a empresa contratante e o que ela espera do profissional.

“Cabe ao entrevistado investigar, saber onde está pisando”, sublinha Carlos Bitinas, da DRH Talent Search. “Use as informações como um gancho para falar sobre seus resultados”, sugere Caio Arnaes.

6. Faça perguntas
De maneira sutil, transforme a entrevista em um diálogo. Para Bitinas, fazer perguntas é um modo de mostrar interesse pelo cargo e pela empresa. “É também matéria-prima no processo de conhecimento entre o recrutador e o candidato. Uma forma de o selecionador entender os anseios do profissional.”

NOVA ENTREVISTA DE EMPREGO: COMO SE SAIR BEM

22/09/2010


Por Roberta Castro

Passando o olho novamente na revista Você S/A do mês de junho deste ano, me chamou a atenção uma questão atual e muito importante para quem está passando ou que ainda vai passar por um processo seletivo: “A nova entrevista de trabalho”. Vale a pena compartilharmos as principais dicas trazidas pela reportagem.

Atualmente, os recrutadores estão mais interessados em saber como o candidato se comporta no ambiente de trabalho e, sobretudo, fora dele, do que apenas conhecer o seu currículo e as suas experiências profissionais. A ideia é saber o quanto o perfil do candidato está alinhado à cultura da empresa. Assim, com a finalidade de contratar um profissional que permaneça o maior tempo possível neste emprego, o processo seletivo ganhou novas etapas e ficou mais longo e rigoroso. Além disso, com uma seleção mais criteriosa, as empresas evitam um novo gasto com uma nova contratação, desgastes na equipe ou até mesmo atraso no cronograma empresarial.

Mas para conhecer estas informações muito pessoais, os profissionais de RH estão deixando de lado perguntas mais do que manjadas – como, por exemplo, “por que você quer este trabalho?” ou ainda “fale-me sobre os seus principais pontos fortes e fracos”, e mergulhando em questões pessoais que podem levar a um perfil de personalidade, de caráter e de comportamento. Nesta busca pela descoberta das competências pessoais e seus respectivos valores, as perguntas nas entrevistas de trabalho ganharam uma nova roupagem e novos objetivos, virando uma verdadeira prova de fogo. Neste contexto, informações sobre história de vida, visão de mundo, crenças e desejos passaram a ser relevantes.

Veja a seguir alguns exemplos citados na reportagem de perguntas que têm sido feitas e o que elas realmente querem dizer:

Se você tivesse morrido, o que seria escrito na sua lápide?
O objetivo da pergunta é fazer com que o candidato se descreva como pessoa fora do contexto profissional. Outras empresas ainda optam pela manjada: “Quem é você?”.

Se tivesse um milhão de reais, que empresa você abriria?
A pergunta testa o grau de identificação do candidato com o ramo de atividade da companhia que está contratando.

De que forma você busca autoconhecimento?
Em vez de perguntar se a pessoa busca autoconhecimento, a questão pede uma resposta que contenha exemplos e, assim, desmascarar os que não fazem isso.

O que seus pais pensam sobre suas aspirações?
A pergunta avalia autoconfiança e o tipo de postura que o candidato foi incentivado a ter ao longo da vida. Pessoas que receberam apoio dos pais e são incentivadas tendem a ser mais empreendedoras e independentes.

Numa escala de 1 a 10, que grau de controle você tem sobre o seu destino?
A questão testa a iniciativa do candidato, a capacidade de assumir responsabilidade por suas decisões e escolhas e sobre o que espera realizar em sua vida.

Profissionalmente, quais são as três coisas que você mais se envergonha de ter feito?
O objetivo é checar o senso de autocrítica e a resistência da pessoa a frustrações.

Seu superior será promovido. Você quer a vaga dele. O que vai fazer para conseguir isso?
A resposta do candidato vai permitir avaliar caráter, ambição e vontade de crescer. É uma forma de conhecer o seu tipo de personalidade.

Você já precisou abrir mão de alguma coisa na sua vida em nome de outra?
Aqui, a partir da história contada pelo candidato, os entrevistadores vão avaliar o que ele realmente valoriza e prioriza e o quanto está disposto a ceder para agarrar a oportunidade da vaga.

Por que escolheu esta empresa e não a concorrente?
O interessado vai ter de demonstrar conhecimento sobre a cultura da companhia para a qual está se candidatando. A ética do candidato é analisada, já que se observa se ele vai falar mal do concorrente.

Quais são as suas perguntas?
Os recrutadores esperam que o candidato faça perguntas. Além de demonstrar interesse em conhecer a empresa, quem pleiteia o posto mostra curiosidade e vontade de aprender.

E você? Passou por alguma experiência deste tipo em uma entrevista de emprego? Que tal compartilhá-la por aqui e, também, no Blog Eu Profissional?

Fonte: http://www.euprofissional.com.br

PERGUNTE AO ESPECIALISTA – SOBRE OS MEUS DEFEITOS…. O QUE FALAR?

17/09/2010

Pergunta: Eu sempre me preparo bem antes de fazer uma entrevista. Costumo pesquisar em sites sobre o que os entrevistadores normalmente perguntam. Li em algum site, não me lembro qual, que quando é perguntado ao candidato qual é ou quais são seus defeitos muitos estão dizendo que são perfeccionistas ou exigentes demais. Que isso já está virando clichê, e que os entrevistadores não estão gostando muito de ouvir isso. Eu costumo dizer isso nas entrevistas, mas no meu caso eu realmente sou perfeccionista e exigente. Gostaria de saber como eles terão certeza de que é mentira ou verdade e quais defeitos são bons ou ruins para dizer em uma entrevista?
Obrigada
Atenciosamente,
Gabriela da Silva Gualberto
Contagem / MG

Resposta

Gabriela, primeiramente gostaria de parabenizá-la pelo excelente nível da pergunta, pois é um assunto que tem gerado muita controvérsia entre os entrevistadores e demais profissionais da área de RH. Esta pergunta sobre “qualidades e defeitos”, ou da forma mais politicamente correta: “pontos fortes e pontos a desenvolver” deveria ser abolida das entrevistas de seleção, pois todo mundo sabe que ela será feita e os candidatos já têm um script bem ensaiado para respondê-la.  Realmente virou um clichê falar que perfeccionismo ou demasiada exigência é um “defeito” ou um “ponto a desenvolver”, pois na maioria dos casos são características que podem ser consideradas mais no aspecto positivo, ou seja, como uma qualidade. Pode soar como uma “defesa” do candidato ou uma forma de tentar driblar este questionamento e camuflar outros pontos a desenvolver.

Ás vezes pode soar melhor relatar como defeitos a ansiedade demasiada, a impaciência com o erro e falta de comprometimento dos outros, a timidez para falar em público e/ou a objetividade exacerbada. São “defeitos” perdoáveis e que não passam a impressão de estar “enrolando” o entrevistador. Também é interessante acrescentar de que está atenta a estes pontos e que já melhorou bastante, pois isto mostra que tem bom nível de autoconhecimento e flexibilidade para mudanças!

Boa Sorte!

Tais Targa


No site Empregos você tira suas dúvidas e recebe gratuitamente orientação sobre vários assuntos ligados a carreira e desenvolvimento profissional. Para cada tema há um especialista pronto para auxiliá-lo. Serão respondidas e publicadas no site apenas as perguntas selecionadas pela equipe de conteúdo do Empregos.com.br.

Clique aqui e faça sua pergunta!

SAIBA COMO SE PREPARAR PARA A ENTREVISTA DE EMPREGO

20/08/2010

Prática de atividades prazerosas e boa noite de sono ajudam a relaxar e tornam o raciocínio mais ágil

Por Rômulo Martins

Saiba como se preparar para a entrevista de empregoEntrevista de emprego costuma deixar os candidatos com os nervos à flor da pele. Cria-se uma grande expectativa, que normalmente vem acompanhada dos seus parentes próximos, a ansiedade e o nervosismo. Para dirimir a avalanche de sentimentos que podem fazer reféns os candidatos, consultores de empresas indicam a prática de atividades que os desviem do compromisso do dia seguinte.

“Leia um livro, converse com amigos, olhe algum programa que lhe agrade e, principalmente, durma cedo”, recomenda o consultor Gilberto Wiesel.

Segundo Wiesel, uma noite de sono tranquilo torna a aparência mais saudável. “Além disso, quando estamos descansados, nosso raciocínio fica mais ágil para responder de forma adequada às perguntas do entrevistador.” Uma alimentação leve também proporciona mais disposição, ressalta o consultor.

Pesquise a empresa
Wiesel diz que a entrevista deve ser uma “via de mão dupla”, ou seja, o candidato deve demonstrar seu real interesse pela vaga. Por isso, é fundamental informar-se antes sobre a empresa. É importante saber o tamanho, segmento de atuação, produtos ou serviços que oferece ao mercado, finanças, em quais estados atua etc.

Com que roupa eu vou?
A comunicação se dá por diversas formas, logo a roupa diz muito sobre você. Lembre-se: a primeira impressão é que fica, portanto, vista-se de acordo com o cargo que você está buscando, essa é uma regra básica. Roupas sociais de cores neutras são indicadas.

Currículo
Isabella Razaboni, consultora de recursos humanos, recomenda levar o currículo no dia da entrevista. Grosso modo, os entrevistadores têm o documento em mãos, porém podem não estar com a versão atualizada. Revisar o currículo momentos antes da entrevista pode evitar contratempos.

Trajeto
Conhecer o trajeto de casa à empresa facilita o deslocamento. Chegar atrasado a uma entrevista é o mesmo que pedir para não ser contratado. É primordial informar-se sobre o caminho para se planejar.

Momentos antes
A orientação é chegar com antecedência na empresa. Não é só questão de pontualidade, mas de oportunidade para familiarizar-se com o ambiente, observar o clima e a cultura da organização e aproveitar também para respirar e relaxar. Siga as regras de etiqueta corporativa, pois em muitos casos você estará sendo observado desde o momento em que chegar à empresa. Serão analisadas suas reações na sala de espera, como você se comunica com a secretária, qual sua postura e gentileza com as pessoas.

AS DINÂMICAS MAIS POPULARES

18/08/2010

Conheça as tarefas aplicadas com mais frequência pelos recrutadores; Confira dicas para obter sucesso no processo.


Por Rômulo Martins

Veja quais são as dinâmicas mais realizadas pelos selecionadores e as recomendações de Izabel Failde para ajudar você a alcançar a excelência nesta fase.


Apresentação
Nome da atividade – Anúncio Classificado As dinâmicas mais populares

  • Objetivos – Apresentação do candidato, fluência verbal, organização de ideias, criatividade.
  • Instruções – Imagine um anúncio de empregos, daqueles que se vê em revistas, jornais ou internet, e faça um sobre você. Anuncie-se! Venda-se!
  • Dicas – Dê informações sobre sua vida pessoal e profissional em, no máximo, 20 linhas. Observe que não é um currículo que o selecionador pede, portanto, seja criativo.


Atividade Individual

Nome da atividade – Script Inovador

  • Objetivos – Análise da fluência verbal e organização de ideias, As dinâmicas mais popularescriatividade, flexibilidade e adaptabilidade, objetividade.
  • Instruções – Você precisa aumentar seu faturamento mensal e, através de uma ótima negociação, adquiriu um lote de meias pretas masculinas. Você fará ações de telemarketing para divulgar e vender seu produto. Sua tarefa, portanto, é elaborar um script que usará para fazer contato com o cliente pelo telefone. Prepare seus argumentos para possíveis objeções.
  • Dicas – Seja claro e objetivo; considere que a venda por telefone é uma das mais difíceis, portanto prepare alguns argumentos criativos e interessantes para oferecer seu produto ao cliente. Não é necessário ser da área de vendas para realizar esta atividade; amplie seus horizontes!


Simulação de Vendas

Nome da atividade – Construção de um Produto

  • Objetivos – Criatividade, flexibilidade e adaptabilidade, clareza e As dinâmicas mais popularesobjetividade, análise de conhecimento da área comercial, trabalho em equipe.
  • Instruções – Em subgrupos construa um manual técnico para seu produto. Defina nome, marca, características físicas, formas de uso, benefícios de utilização, preço. Através deste manual seu produto será vendido para outros subgrupos.
  • Dicas – Os produtos oferecidos pelos selecionadores costumam estar quebrados ou faltando peças (caneta sem carga, bola de futebol murcha, bolsa rasgada). Isso quer dizer que é essencial ser criativo, inovador. Jamais reclame do produto que deve vender; aceite a atividade como um desafio.


Trabalho em equipe

Nome da atividade – O veículo da empresa

  • Objetivos – Trabalho em equipe, flexibilidade e adaptabilidade, As dinâmicas mais popularesobjetividade, comunicação interpessoal, saber ouvir.
  • Instruções – Pense numa empresa que seja conhecida por todos os candidatos. Defina qual veículo de transporte melhor representa esta organização e os motivos. Com sucata, papéis, cola, tesoura, construa o veículo considerando tipo (tamanho, cor), capacidade de carga/passageiros, velocidade máxima, tipo e quantidade de combustível, quem é o condutor.
  • Dicas – As ideias são muitas e o tempo é pouco para a realização da atividade. Portanto, seja objetivo, saiba ouvir as sugestões dos demais participantes. Se for o caso, lidere a atividade sem impor suas próprias condições.

Leia mais…

ENTREVISTA – 7 DICAS PARA EVITAR GESTOS QUE REVELAM NERVOSISMO

11/08/2010

Preparo e controle emocional são fundamentais para alcançar êxito e transmitir tranquilidade ao entrevistador nesta fase do processo de seleção.

Por Rômulo Martins

7 dicas para evitar gestos que revelam nervosismo e ansiedade na entrevista de empregoBalançar as pernas, mexer os braços exageradamente, tamborilar os dedos, arregalar os olhos, passar as mãos nos cabelos, roer unhas são gestos que denunciam nervosismo e ansiedade e prejudicam sua performance em uma entrevista de emprego. Mais que isso, são sinais de insegurança e refletem, assim, sua condição emocional. Podem, por essa razão, eliminar o candidato em um processo seletivo.

“Ocorre, muitas vezes, de o candidato selecionado não ter tanto talento quanto o concorrente. O grande diferencial, nesse caso, é o quanto o entrevistador sente confiança ao conversar com ele”, explica o consultor organizacional Eduardo Shinyashiki.

“O esperado é que, mesmo diante da ansiedade, o candidato tenha autocontrole e equilíbrio. Caso isso não ocorra, será notado pela expressão corporal. Os gestos são reflexos do nosso estado emocional”, atesta Stefania Giannoni, consultora e headhunter especialista no desenvolvimento de pessoas.

Confira dicas dos consultores para evitar gestos inapropriados no cara a cara com o entrevistador:

1. Controle a respiração
A respiração profunda e suave massageia os órgãos e ativa o sistema circulatório dando a sensação de prazer e serenidade. Respiração curta e rápida, ao contrário, transmite medo, insegurança.

2. Ative uma imagem mental positiva
Este exercício é um recurso da neurociência que consiste em construir no cérebro a imagem de um fato que ainda está por acontecer. Dessa forma, antes da entrevista, o candidato já se imagina diante do selecionador e se submete às regras de etiqueta corporativa como se estivesse passando pela situação. É uma atividade de concentração, preparo. Diante do entrevistador a sensação será de déjà vú.

3. Antes de falar, ouça
Saiba o que o selecionador quer ouvir de você; responda ao que ele está perguntando. Na ânsia de falar o candidato pode transmitir conteúdos irrelevantes para o momento, afirmam consultores empresariais. O ideal é interagir com o entrevistador.7 dicas para evitar gestos que revelam nervosismo e ansiedade na entrevista de emprego

4. Seja empático
Quando assistimos a um filme em que o sofrimento da (s) personagem (ns) é constante emocionamo-nos. Isso ocorre porque a cena, mesmo fictícia, ativa em nosso cérebro as áreas responsáveis pela emoção. Cria-se uma empatia com as personalidades da tela. Na entrevista de emprego, do mesmo modo, perceba o movimento do entrevistador e acompanhe-o de forma parecida.

5. Olhe nos olhos do entrevistador
A sintonia com o olhar é fundamental; não desvie os olhos do entrevistador. Demonstre total atenção ao que ele diz. Faça-se presente.

6. Comunique-se adequadamente
A fala deve acompanhar o gestual e vice-versa. Fale de modo claro e ponderado. Tenha cautela: não queira passar o máximo de conteúdo em tempo inábil. Selecione as informações mais importantes. Transmita suas ideias de forma articulada.

7. Prepare-se para a entrevista
Simular uma entrevista de emprego com um parente ou amigo pode ser uma maneira eficaz de alcançar a excelência no contato com o selecionador. É importante conhecer ainda suas habilidades e competências e saber transmiti-las verbalmente.

Cuidado com a robotização
Preparo é fundamental, mas é preciso cautela para não deixar de ser você e encarnar um personagem, adverte a consultora Stefania Giannoni. Segundo ela, o candidato deve agir com naturalidade, ter postura firme e sentar-se adequadamente. “Alguns indícios como dilatação da pupila, suor e rubor das faces podem nos dar subsídios para saber se a pessoa está falando ou não a verdade. As pessoas não conseguem simular por muito tempo.”

INTERNAUTA PERGUNTA: QUERO MEU PRIMEIRO EMPREGO – O QUE FAÇO?

27/07/2010

Pergunta:
Hoje o que as empresas esperam de um aspirante ao primeiro emprego? Quais conhecimentos ou informações precisamos ter independente da área de atuação? Agradeço a atenção.

Ana Paula Takami

Resposta

Prezada Ana Paula,

Quando uma empresa seleciona um candidato ao Primeiro Emprego, na maioria das vezes está preocupada muito mais como potencial que aquela pessoa demonstra e efetivamente tem do que com conhecimentos e/ou experiência. Um jovem raramente consegue congregar muita vivência, então a empresa tenta explorar numa entrevista de seleção a formação que o candidato eventualmente tenha, cursos que fez, mas também seu jeito de ser, sua atitude frente às questões do dia-a-dia, seu relacionamento interpessoal, sua capacidade de se adaptar às mudanças rápidas do dia de hoje e sua flexibilidade. Tudo isso junto certamente darão à empresa componentes para decidir se a pessoa tem o perfil que se encaixa às necessidades e à cultura dela naquele momento.

Elaine Saad

SEU CURRÍCULO FOI SELECIONADO?

23/07/2010

Ao receber uma ligação, saiba o que perguntar antes de participar das etapas presenciais.

Por Rômulo Martins

Profissão em alta - CoachApós dedicar tempo e esforço para elaborar o seu currículo e enviá-lo às consultorias ou empresas você recebe o telefonema que tanto aguardava para participar da etapa presencial do processo de seleção. Você se preparou para atender o selecionador via telefone? Se estranhou a pergunta talvez seja necessário refletir melhor sobre a importância dessa conversa inicial entre você e a empresa antes de se dirigir pessoalmente até ela. Além do horário, dia e local do encontro existem algumas informações fundamentais que precisam ser esclarecidas pelo telefone, principalmente se o contato for feito por uma consultoria.

“No primeiro contato é importante especular qual é o nome da empresa – geralmente a consultoria não revela essa informação. Após a ligação o candidato deve consultar a idoneidade da consultoria em órgãos de proteção por meio da internet. É preciso tomar cuidado, porque muitas vezes o que se quer é vender um produto, e não encaminhar o candidato a um processo de seleção”, adverte Tais Targa, coordenadora da central de carreiras da Universidade Positivo.

Esclarecer os principais dados sobre a vaga de emprego e a empresa, portanto, pode evitar desgaste e perda de tempo. Todavia, tenha bom senso ao questionar o selecionador. Demonstre receptividade e seja atencioso ao telefone. “Não descarte uma oportunidade por falta de paciência para ouvir. O mais importante no primeiro momento é o que você pode oferecer à empresa. A negociação vem depois”, diz Carmelina Nickel, consultora da DBM, consultoria especializada na gestão do capital humano. Leia mais…


%d blogueiros gostam disto: