Posts Tagged ‘Profissional’

O QUE ESCREVER NO CURRÍCULO PARA ATRAIR O RECRUTADOR?

20/01/2011

Destacar a formação e a experiência profissional é mais eficaz que utilizar chavões como espírito de equipe e foco em resultados.

Por Rômulo Martins

O que escrever no currículo para atrair o recrutadorNa ânsia por fisgar o recrutador grande parte dos profissionais recorre a expressões que viraram clichês no mundo corporativo. O Linkedin, rede de relacionamento profissional, divulgou recentemente os 10 termos mais utilizados nos perfis dos brasileiros em 2010. São eles: dinâmico, ampla experiência, inovador, motivado, proativo, focado em resultados, empreendedor, trabalho em equipe, multitarefado, valor agregado.

Para o especialista em carreira Lindsey Pollak, “expressões como ‘ampla experiência’ e ‘experiência comprovada’ podem parecer vazias para um empregador potencial e prejudicar mais do que ajudar um perfil ou currículo”. Segundo ele, “o melhor é destacar anos de experiência, conquistas e resultados, como um aumento significativo nas vendas.”

Matilde Berna, diretora de transição e gestão de carreiras da Right Management, afirma que um currículo, para chamar a atenção do selecionador, deve exibir a história profissional de maneira estratégica. “O importante não é a quantidade de informações, mas as informações estratégicas.”

Seria irrelevante para o diretor de uma empresa, por exemplo, destacar experiências de estágio. “A informação deve ser coerente ao contexto profissional. É fundamental informar no currículo os resultados obtidos ao longo da carreira”, diz Matilde.

Na visão de Giuliana Hyppolito, consultora de recursos humanos da DMRH, na busca por uma vaga de emprego vale mencionar características pessoais valorizadas pelo mercado, mesmo que este não seja o principal foco do currículo.  Leia mais…

AUTORES DO LIVRO CRIATIVIDADE SEM SEGREDOS DÃO DICAS PARA 2011

06/01/2011

Da Redação

Autores do livro Criatividade sem segredos dão dicas para 2011Mais um ano está começando. Como sempre, é normal questionarmos sobre nossos objetivos, rotinas, o que conseguimos no anterior e o que queremos para o atual. Tirar do baú antigos sonhos, pensar em novas formas de fazer velhas coisas, são algumas das dicas de Fábio Zugman e Michel Turtchin para tornar possíveis as metas para 2011.

O ano novo não é só um marco no calendário. A virada é uma oportunidade para reavaliar a vida e pensar em mudanças a serem feitas. Para Fábio Zugman e Michel Turtchin, autores do livro “Criatividade sem Segredos”; a primeira dica é ser realista. Não mirar alto demais. É comum vermos pessoas escrevendo suas famosas resoluções de ano novo com objetivos como emagrecer vinte quilos ou dobrar o salário. O ideal é pensar em pequenas mudanças que possam ficar mais perto do objetivo de forma concreta. Ao invés de dizer “vou emagrecer vinte quilos”, um objetivo concreto como “vou mudar algumas atitudes para melhorar minha saúde” é mais realista e fácil de ser medido e controlado para  saber se está no caminho de atingir o objetivo.

Promessas e Metas
Aliás, quanto mais concretas as propostas de mudança, melhor. “Comer doces apenas nos fins de semana” ou “ir à academia 3 vezes por semana” colocam a pessoa em seu caminho de perder os tais 20 quilos com a vantagem de dar as ferramentas para atingir a meta. Da mesma forma, “conseguir um salário melhor” pode se refletir em “fazer mais cursos profissionalizantes”, “procurar um novoemprego” ou “se esforçar mais para impressionar o chefe”.

Inovação
Muitos utilizaram as festas de fim de ano para colocar um pouco mais de criatividade na vida. “Quem aprende a usar um pouco mais sua criatividade no dia a dia, seja no trabalho ou em outras atividades, percebe um grande aumento em sua satisfação pessoal.” Dizem os autores.

Procurar uma nova atividade, tentar um novo esporte, se matricular em um curso de uma nova língua, cursos de extensões, artes, ler um livro diferente, aprender a fazer um novo prato ou qualquer outra coisa que chame a atenção. “Todos possuímos uma variedade de interesses, é uma pena que tão poucas pessoas acabem os explorando”. Isso não quer dizer que a pessoa precise se tornar um especialista. O convívio com novas ideias, pessoas e ambientes, por si só, acabam sendo um grande estímulo ao dia a dia.

Resolver Problemas
Por último, é bom pensar em novas formas de fazer velhas coisas. Chamar aquele colega de trabalho cujo relacionamento foi se deteriorando ao longo do tempo para uma conversa; é uma boa saída. Lidar com uma questão na equipe que esteja incomodando faz tempo; também é outra forma de reinventar o cotidiano. Nessa época, as pessoas costumam estar mais abertas a esse tipo de acerto de contas. Cabe, também, fazer uma auto avaliação. Se o trabalho não satisfaz mais, talvez seja a hora de finalmente procurar outra coisa para fazer, ou quem sabe fazer aquele curso ou viagem que vem adiando faz algum tempo.

“Toda mudança, no começo pode trazer algum desconforto.” Dizem Fábio e Michel. “Por outro lado, após o choque inicial, as pessoas costumam ver que ao menos tentar valeu a pena, e é comum se questionarem por que não fizeram algo antes”.
O importante é declarar que 2011 será um ano mais criativo e produtivo e, é claro, mãos à obra.

CURRÍCULO – ACERTE EM CHEIO NA HORA DE ELABORAR O SEU

15/10/2010

Objetividade e capacidade de síntese são características fundamentais na construção do documento, revela pesquisa.

Da Redação

Currículo - acerte em cheio na hora de elaborar o seuA busca por um emprego no mercado formal sempre gerou muitas dúvidas entre os profissionais, especialmente aquelas relativas às informações a serem priorizadas na elaboração de um currículo. Para chegar ao modelo ideal, a Right Management, consultoria organizacional especializada em gestão de talentos e carreira, realizou pela 5ª vez a pesquisa de layout de currículo. O levantamento foi feito em parceria com headhunters e   executives searches. Concluiu-se que objetividade, capacidade de síntese e priorização das informações são os principais itens a serem destacados no documento profissional.

Ao iniciar um currículo, o profissional deve pensar até no número de páginas. Segundo a pesquisa, são indicadas no máximo duas. Na elaboração de um currículo, 79% dos avaliadores disseram que o documento deve conter o resumo de qualificações e descrição dos cargos. No espaço destinado ao objetivo, o profissional deve apresentar tanto o cargo que almeja como a área de atuação.

Na primeira página, deve ser citada a formação acadêmica, especialmente os  cursos de graduação e especializações, na opinião de 85,3% dos entrevistados. Cursos não concluídos, mas cursados por um período de tempo superior a metade da grade curricular, podem ser informados. Cursos complementares também devem ser citados, pois indica que a pessoa investe no autodesenvolvimento. Consultores ressaltam, entretanto, que o profissional deve ficar atento à pertinência da informação. Cursos defasados não devem ser mencionados.

Informações como data de nascimento e estado civil têm grande grau de importância, assim como destacar as realizações e resultados expressivos, segundo 54,9% dos consultores entrevistados. A maioria dos avaliadores (80%) disse  que o texto em tópicos é o ideal em um currículo.

“O especialista em avaliação de currículo tem de ficar estimulado ao ler a informação descrita no documento. O texto em tópicos, além de ser mais prático, possibilita a chamada análise dos trinta segundos”, afirma Telma Guido, consultora de transição de carreira da Right Management. Segundo a consultora, o avaliador deve encontrar as informações relevantes à vaga e compreender quem é o candidato logo nos primeiros segundos em que analisa o currículo.

No vídeo abaixo, Telma Guido explica os itens mais importantes no currículo e quais informações o recrutador olha primeiro:

Ao mencionar realizações e resultados o profissional deve tomar cuidado com a utilização verbal. “O correto é ‘desenvolvimento de algo ou implantação de algo’ e não ‘eu desenvolvi ou eu implantei’”, orienta Telma.

Outras informações reveladas na pesquisa:

  • 73% preferem a apresentação do idioma por nível (fluente/avançado/intermediário/básico);
  • 96% disseram que a ordem de apresentação do histórico e experiência profissional deve ser do último para o primeiro emprego;
  • 96% preferem que as datas de admissão e de desligamento sejam mencionadas por mês e ano;
  • 56% apontam que a melhor forma de apresentar a experiência profissional é por descrição tanto dos cargos como das qualificações;
  • 69% informaram que  somente as viagens internacionais com propósito de trabalho devem ser citadas no histórico profissional.

A pesquisa de currículo é realizada pela Right a cada três anos desde 2001. A consultoria seleciona parceiros seniores em executive search e headhunters para opinar sobre a elaboração do documento. O levantamento deste ano contou com 26 questões. Participaram 76 profissionais entre donos de empresa, diretores, consultores e partners.


Currículo – acerte em cheio na hora de elaborar o seu

Objetividade e capacidade de síntese são características fundamentais na construção do documento, revela pesquisa.

Da Redação

Currículo - acerte em cheio na hora de elaborar o seuA busca por um emprego no mercado formal sempre gerou muitas dúvidas entre os profissionais, especialmente aquelas relativas às informações a serem priorizadas na elaboração de um currículo. Para chegar ao modelo ideal, a Right Management, consultoria organizacional especializada em gestão de talentos e carreira, realizou pela 5ª vez a pesquisa de layout de currículo. O levantamento foi feito em parceria com headhunters e   executives searches. Concluiu-se que objetividade, capacidade de síntese e priorização das informações são os principais itens a serem destacados no documento profissional.

Ao iniciar um currículo, o profissional deve pensar até no número de páginas. Segundo a pesquisa, são indicadas no máximo duas. Na elaboração de um currículo, 79% dos avaliadores disseram que o documento deve conter o resumo de qualificações e descrição dos cargos. No espaço destinado ao objetivo, o profissional deve apresentar tanto o cargo que almeja como a área de atuação.

Na primeira página, deve ser citada a formação acadêmica, especialmente os  cursos de graduação e especializações, na opinião de 85,3% dos entrevistados. Cursos não concluídos, mas cursados por um período de tempo superior a metade da grade curricular, podem ser informados. Cursos complementares também devem ser citados, pois indica que a pessoa investe no autodesenvolvimento. Consultores ressaltam, entretanto, que o profissional deve ficar atento à pertinência da informação. Cursos defasados não devem ser mencionados.

Informações como data de nascimento e estado civil têm grande grau de importância, assim como destacar as realizações e resultados expressivos, segundo 54,9% dos consultores entrevistados. A maioria dos avaliadores (80%) disse  que o texto em tópicos é o ideal em um currículo.

“O especialista em avaliação de currículo tem de ficar estimulado ao ler a informação descrita no documento. O texto em tópicos, além de ser mais prático, possibilita a chamada análise dos trinta segundos”, afirma Telma Guido, consultora de transição de carreira da Right Management. Segundo a consultora, o avaliador deve encontrar as informações relevantes à vaga e compreender quem é o candidato logo nos primeiros segundos em que analisa o currículo.

Ao mencionar realizações e resultados o profissional deve tomar cuidado com a utilização verbal. “O correto é ‘desenvolvimento de algo ou implantação de algo’ e não ‘eu desenvolvi ou eu implantei’”, orienta Telma.

Outras informações reveladas na pesquisa:

  • 73% preferem a apresentação do idioma por nível (fluente/avançado/intermediário/básico);
  • 96% disseram que a ordem de apresentação do histórico e experiência profissional deve ser do último para o primeiro emprego;
  • 96% preferem que as datas de admissão e de desligamento sejam mencionadas por mês e ano;
  • 56% apontam que a melhor forma de apresentar a experiência profissional é por descrição tanto dos cargos como das qualificações;
  • 69% informaram que  somente as viagens internacionais com propósito de trabalho devem ser citadas no histórico profissional.

A pesquisa de currículo é realizada pela Right a cada três anos desde 2001. A consultoria seleciona parceiros seniores em executive search e headhunters para opinar sobre a elaboração do documento. O levantamento deste ano contou com 26 questões. Participaram 76 profissionais entre donos de empresa, diretores, consultores e partners.

No vídeo abaixo, Telma Guido explica os itens mais importantes no currículo e quais informações o recrutador olha primeiro:

Faça uma busca de vagas (escolha uma área ou busque o cargo desejado)

Buscar Emprego:

Estado Acre Alagoas Amapá Amazonas Bahia Ceará Distrito Federal Espírito Santo Goiás Maranhão Mato Grosso Mato Grosso do Sul Minas Gerais Pará Paraíba Paraná Pernambuco Piauí Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Rondônia Roraima Santa Catarina São Paulo Sergipe Tocantins

OS SEGREDOS DOS CAMPEÕES

27/09/2010

Conferencista Roberto Shinyashiki revela quais são as 7 principais características do profissional de sucesso.

Por Rômulo Martins

O segredo dos campeõesUma carreira plena não se constrói durante o expediente. O sucesso é feito à noite, nos bastidores. Foi essa filosofia que transformou o menino pobre da baixada santista em Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra com doutorado em administração e economia pela Universidade de São Paulo, palestrante de renome internacional e autor de títulos como “Os segredos dos campeões”, “A revolução dos campeões”, “O poder da solução” e “O sucesso é ser feliz”, que venderam mais de seis milhões de exemplares.

Segundo Shinyashiki, é nos bastidores que o profissional de sucesso investe em sua formação. “Um líder campeão valoriza os fundamentos”, diz o conferencista a uma plateia de profissionais de recursos humanos no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. Shinyashiki explica que o profissional campeão atinge os seus objetivos porque analisa com clareza as situações-problema, elabora planejamentos estratégicos, entende os meandros do marketing, estuda gestão de negócios.

Em outras palavras, o campeão conhece bem o seu negócio, investe nele na certeza de que vai obter retornos positivos, resolve problemas e, consequentemente, alcança resultados extraordinários. Além disso, mantém o cérebro oxigenado e aprende com outros campeões. “Trabalhe com os campeões. Eles vão te ensinar os fundamentos para você se tornar um deles”, garante Shinyashiki.

Conheça as principais características do profissional campeão, segundo o conferencista.

1. O campeão tem visibilidade
Profissionais de renome têm ideias especiais. Atendem à expectativa do cliente (empresa) porque sabem construir o produto adequado. Estudam propostas, têm posicionamento e sabem o seu valor no mercado. Todos o procuram.

2. O campeão cria histórias
Um simples gesto no trabalho pode eternizar a sua imagem. Profissionais campeões viram mitos, logo são eternizados. Compare a história de Ayrton Senna e Michael Schumacher. São dois campeões de Fórmula 1. Qual deles, porém, é o piloto mais lembrado e idolatrado de todos os tempos?

3. O campeão “invade” o cliente
Quem não é visto não é lembrado. Isso não é problema para os campeões. Eles estão em todos os lugares: na TV, na internet, nos jornais e revistas, na boca do povo. Quando lançam um produto ou marca todos têm acesso, porque é divulgado espontaneamente nas diversas mídias. Os campeões não vendem o produto por si só. Vendem sonho, conforto, segurança. Por isso viram ídolos.

4. O campeão transforma anões em gigantes
Campeão não tem medo de formar campeões. Ele ensina todos os rituais de sucesso aos aprendizes. É seguro de si, motivador, vencedor por natureza.

O segredo dos campeões

5. O campeão valoriza os relacionamentos
Por trás do sucesso, acompanham o profissional campeão valores como humildade, companheirismo, cooperação. Ele aplica esses ensinamentos na convivência com a família e com os amigos. Os relacionamentos são a base do seu sucesso e dão energia para superar desafios. Profissionais desprovidos de valores iguais ou similares aos mencionados jamais alcançarão o êxito pleno.

6. O campeão é inovador
Acompanhar as tendências do mercado e aplicá-las como recursos benéficos ao negócio é outra característica marcante no campeão. Este profissional é criativo. Lança produtos inovadores a partir dos seus conhecimentos técnicos, visão empreendedora e macro e das ferramentas que lhes são apresentadas.

7. O campeão aproveita a vida
O profissional de sucesso sabe administrar o tempo. Mantém o equilíbrio entre vida e trabalho. Faz o que gosta: vai à praia, ao cinema, pratica esportes, dedica-se à leitura, ouve música, relaxa. Em suma, o profissional campeão é feliz.

MENTIRAS NO CURRÍCULO? CUIDADO…

15/09/2010

Informação falsa não deve ser confundida com omissão de dados. Nesta situação o candidato pode gerar uma entrevista, naquela é eliminado do processo seletivo.

Por Rômulo Martins

Mentiras no currículoQuem nunca se rendeu a uma mentirinha no currículo na hora de enviá-lo ao recrutador? Afinal, não dá para perder a chance de ser chamado para a entrevista de emprego por conta de um “detalhe”. Elevar o nível do idioma estrangeiro ou informar que domina determinado software, quando na verdade se tem apenas noções da ferramenta, seria uma forma de passar à etapa seguinte do processo de seleção. Contudo, não é esta a recomendação dos consultores de carreira e recursos humanos.

“O fato de tentar fortalecer o currículo para chegar à entrevista presencial e convencer o entrevistador de que é capaz de assumir uma posição provoca o efeito contrário. Ao mentir, o candidato fragiliza sua imagem profissional”, afirma André Assef, diretor operacional da Desix, empresa de recursos humanos focada em tecnologia da informação.

Isso acontece, explica Assef, porque os recrutadores recorrem a técnicas que comprovam ou não os dados informados no currículo. Segundo ele, a entrevista é o principal medidor para descobrir se o candidato realmente possui as competências descritas no documento. “Ao longo de uma conversa bem conduzida é possível identificar contradições por meio de perguntas abertas. Em uma entrevista técnica, por exemplo, não podem ser aceitas respostas monossilábicas.”

De acordo com Assef, o candidato que se contradiz torna frágil a relação com o recrutador. Seu futuro tem destino certo: a eliminação do processo seletivo.

As mentiras mais contadas pelos candidatos:
1. Informa que possui graduação completa, mas na verdade não concluiu ou nunca frequentou o curso.
2. Diz que domina dada linguagem técnica ou software, porém não detalha as ferramentas dos programas na entrevista.
3. Menciona que possui fluência em outro idioma, contudo sente dificuldade ao se comunicar com o entrevistador em língua estrangeira.
4. Inventa que é formado em uma universidade conceituada ou que trabalhou em uma empresa de renome.
5. Diz que possui experiência na área ou que já ocupou determinado cargo, no entanto se atrapalha no momento de especificar as atividades supostamente realizadas.
6. Mente dados pessoais como idade, estado civil e endereço. Além disso, informa que não tem filhos.
7. Cita que conhece outros países para supervalorizar o currículo, todavia comete gafes ao descrever as cidades que hipoteticamente visitou ou responde às questões do recrutador de forma monossilábica e genérica.

Leia mais…

CHAVE PARA SUA CARREIRA PROFISSIONAL

14/06/2010

Características empreendedoras como foco em resultados pautam o profissional de hoje.

Por Rômulo Martins

Chave para Sua CarreiraGerir a própria carreira é uma das competências mais requisitadas pelas organizações na atualidade. Em um futuro próximo será a tônica das relações de trabalho, afirmam consultores de empresas. O coach executivo Carlos Cruz diz que o profissional deve contrabalancear a capacidade de ser flexível e de tomar decisões rápidas e assertivas. “As empresas querem pessoas que gerem resultados.” Talvez, a melhor maneira de se alcançar o sucesso no trabalho, diz o consultor, é examinando a vida profissional de pessoas que atingiram o topo. “Ao delegar a responsabilidade de carreira para os próprios profissionais, as empresas obrigaram-lhes a desenvolver características empreendedoras. Vai sobreviver no mercado de trabalho quem as têm”, disse Carlos Cruz a uma plateia de jovens universitários em evento realizado recentemente em São Paulo.

O conceito de empreendedorismo vem com outra roupagem. O consultor explica que empreendedor, nesse caso, não é o dono de uma organização ou o administrador de empresas, mas o profissional proativo, que está em sintonia com a sua rede de contatos, sabe enxergar oportunidades de negócios e vê a empresa com os olhos do cliente. “O profissional tem de ser visto. Não importa onde ele esteja, se em um evento corporativo ou na mesa de um bar, estar conectado a pessoas de sua área é primordial”, diz. Leia mais…


%d blogueiros gostam disto: