Posts Tagged ‘recrutamento’

A ENTREVISTA EM INGLÊS

12/07/2010

Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016 no Brasil tornam o domínio do idioma ainda mais importante.

Por Rômulo Martins

A globalização fez aumentar no mercado de trabalho as exigências requeridas dos profissionais. Não só as empresas multinacionais, mas as nacionais, principalmente de grande porte ou que possuem negócios no exterior, estão atentas ao domínio da língua inglesa por parte dos candidatos a uma vaga de emprego. O inglês ganha ainda mais importância com a chegada dos eventos esportivos internacionais no Brasil – Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas Rio 2016.

Candidatos que concorrem a vagas de níveis gerencial ou técnico em que o contato com o idioma é frequente, como na área de Tecnologia da Informação, portanto, devem ter conhecimento do idioma estrangeiro, uma vez que precisam provar que dominam a língua já no processo de seleção. Quem atua ou deseja atuar no campo da hotelaria, gastronomia e eventos, por exemplo, também deve se ater à relevância do inglês dado o grande número de turistas que o Brasil vai receber nos próximos anos com as competições esportivas. Por isso, conhecer o idioma passa a ser uma das principais exigências das organizações.

Diante desse quadro, para se dar bem na entrevista em inglês é preciso, antes de tudo, ter consciência do nível do idioma que você possui. Depois, prepare-se o suficiente para se sentir seguro e autoconfiante ao encarar o selecionador na hora do processo seletivo. Não tente enganar o entrevistador, pois algumas empresas contratam consultorias para realizar a entrevista e avaliar o candidato.

“Treine, mas não decore. É o status de interação entre o candidato e o entrevistador que vai contar no momento de decidir de quem será a vaga. Seja natural, pois os selecionadores ‘pescam’ diálogos decorados”, recomenda Claudia Shimizu, coordenadora de cursos In Company da Seven Idiomas.

Dicas para obter sucesso na entrevista em inglês
O Empregos.com.br consultou Daniel Zipman, diretor do Centro Latino de Línguas, e Claudia Shimizu, da Seven Idiomas. Eles fazem recomendações importantes para você alcançar êxito nesta etapa do processo seletivo. Leia mais…

RECRUTAMENTO NA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA: SINAIS DE REAQUECIMENTO

14/09/2009

cars

A HAYS, líder mundial em recrutamento para média e alta gerência, tem observado que o mercado, como um todo, tem dado sinais de reaquecimento. Vagas estão sendo reabertas, e projetos estão sendo desengavetados pelas empresas de forma cautelosa. A surpresa, porém, vem da indústria automotiva.

Para Gustavo Costa, diretor da HAYS no Rio de Janeiro, embora tenha sido um dos mais atingidos pela crise financeira mundial, por causa da desvalorização cambial, queda na renda da população e a conseqüente redução no consumo, o setor demonstra estar se reorganizando. “Ações recentes do governo, como a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até dezembro, ajudaram nesse processo, e também se refletiram na abertura de vagas em indústrias que trabalham lado a lado com o setor automotivo, como as siderúrgicas”, diz o executivo.

Atualmente, as funções mais procuradas são: engenheiro de produto e projeto (média salarial de R$ 8 mil); planejamento de produção (média salarial de R$ 7 mil); e planejamento de compras e fornecedores (média salarial de R$ 10 mil). “Temos observado também outra questão interessante: a migração de profissionais de outros setores para a indústria automotiva e vice-versa. O setor era caracterizado por profissionais que começavam suas carreiras ali e não saíam dela. Hoje existe uma mobilidade bastante interessante, que enriquece o setor e favorece a profissionalização e a inovação”, diz Costa.

Sobre a HAYS

Especializada em recrutamento de profissionais de média e alta gerência, a HAYS (www.hays.com.br), líder no mercado mundial, tem mais de 50 anos de atuação e é reconhecida como a maior empresa do setor listada na Bolsa de Valores de Londres. Emprega 7 mil funcionários em 17 divisões de negócios distribuídas por 345 escritórios em 28 países. Todos os seus consultores têm formação acadêmica e experiência na área em que atuam, além de especialização em recrutamento.

Em 2008 a HAYS foi responsável por cerca de 50 mil contratações em regime permanente e 270 mil assinaturas de vagas temporárias no mundo todo. No ano fiscal encerrado em junho de 2009, seu faturamento mundial alcançou £2,4 bilhões, lucro líquido de £670,8 milhões e lucro operacional de £158 milhões. Seu modelo de negócios tem como foco os resultados, base de sua prática comercial, e é 100% voltado ao sucesso da missão e à parceria de longo prazo com os clientes. Isso é resultado do exercício diário de seus valores corporativos: transparência, excelência, paixão pelo negócio e construção de relações duradouras.

Chegou ao Brasil em 2006, estabelecendo-se primeiro em São Paulo e em seguida no Rio de Janeiro. A HAYS atua em 11 divisões especializadas e independentes: Hays Accountancy & Finance, Hays Banking, Hays Engineering & Manufacturing, Hays Human Resources, Hays Legal, Hays Logistics & Supply, Hays Sales & Marketing, Hays Tax, Hays Pharma, Hays Oil & Gas e Hays IT.

CURRÍCULO É BEM MAIS DO QUE TUDO O QUE VOCÊ SABE FAZER

24/08/2009

Curriculum Vitae

Por Fabiano Caxito*

O currículo é o seu vendedor, sua propaganda nas mãos do recrutador. Mas não se iluda. As boas empresas recebem dezenas, centenas de currículos por dia. E o que vai fazer o seu se destacar nesta pilha, não é um papel extravagante, uma fonte rebuscada, uma foto descontraída! O que o recrutador busca é conteúdo.

Então, em primeiro lugar, não cometa o erro de achar que escrever um currículo é apenas listar em uma folha de papel as empresas e cursos que fez.

Invista seu tempo para se repensar, analisar sua carreira, seus pontos fortes e fracos, aquilo que o destaca dos demais. A internet está cheia de sites que oferecem modelos de currículos que só precisam ser preenchidos. Não cometa este erro. Sua experiência é única, e seu currículo deve refletir esta diferença. Inspire-se nos modelos, mas crie seu próprio currículo.

Vamos nos colocar no lugar de um recrutador. Imagine ter que analisar uma pilha de dezenas de currículos de candidatos a uma determinada vaga. Com certeza, o que essa pessoa quer é ler informações relevantes, claras, focadas, em um formato limpo e não cansativo.

O currículo deve ter uma boa apresentação: papel de qualidade, branco, liso e em formato A4. Você não está criando um panfleto promocional. Evite bordas, molduras, imagens, gravuras e fotos. Imprima em formato retrato! Você não quer que o entrevistador tenha que virar seu currículo toda vez que o retirar da pilha. Use no máximo duas folhas, sem capas ou envelopes. Você pode passar uma imagem de ser prolixo e pouco focado. Lembre-se do recrutador e sua pilha de currículos: ele não quer perder tempo com informações irrelevantes.

Há uma frase de Henry Ford que quero usar como exemplo nesta situação. Ele dizia que o modelo T, que popularizou o carro, podia ser comprado em qualquer cor, desde que fosse preto. No caso da cor da fonte usada no currículo, vale o mesmo: preto é sempre o indicado. Já a fonte escolhida deve ser simples como Times New Roman, Arial ou Verdana, com tamanho entre 10 e 12. Menor que isso, fica ilegível e cansa. Maior que isso, vai parecer que você quer “engordar” o currículo aumentando a letra. Veja mais.


%d blogueiros gostam disto: